O Fusca é o carro mais simpático do mundo e um dos carros mais longevos. Desenvolvido ainda nos anos 1930 chegou ao Brasil a partir de 1950 como modelo importado e a partir de 1959 passou a ser fabricado aqui. Em 1986 ele deixou as linhas de produção no país, depois voltou em 1993 e 1996, e no México a primeira geração durou até 2003. Com fãs no mundo todo, há milhares de clubes de entusiastas e eventos em todo o Brasil também.

No Brasil há centenas de milhares de Fuscas rodando e ele se tornou objeto de desejo dos colecionadores. Quem quer iniciar no antigomobilismo geralmente procura um bom Fusca mas tem muitas dúvidas na hora de pesquisar um.

Por isso selecionamos 20 dicas importantes para quem quer realizar o sonho de comprar um Fusquinha para não adquirir “gato por lebre”, se deixando levar pela propaganda ou pela paixão à primeira vista.

  1. Não se deixe levar pela emoção. Parece bem simples mas muita gente olha e compra o primeiro Fusca que vê, por puro impulso. Mesmo que você tenha o valor pedido, mesmo que o carro agrade, vá com calma. Olhe alguns outros modelos, compare bem o preço em relação a outros do mesmo estado e vá devagar…
  2. Cuidado com itens que não existiam na época do carro e que podem desvalorizá-lo. Itens como farois com luzes brancas ou em LED, som super moderno, vidros elétricos, bancos com encosto alto (se não for dos últimos modelos não é original) entre outros itens. Mesmo que você goste de um Fusca equipado e até rebaixado ou com motor preparado, fique atento ao itens instalados posteriormente e que podem desvalorizar seu carro.
  3. Originalidade. Quanto mais original, mais caro tende a ser. Por isso analise bem o alinhamento da carroceria, do capô, das portas e tampa do motor. Analise bem a cor do carro se não há divergência de cor e tons entre as peças. Se nos vidros há logotipo Volkswagen nos vidros, se há peças com o logotipo da marca e outros itens. Seja minucioso mesmo que você goste de customização. Um carro original será sempre mais valorizado.
  4. Motor: analise o estado geral e encaixe das peças. Veja se não há gasolina vazando do carburador, do filtro de combustível e veja, por baixo do carro, se há vazamento de óleo do motor. É normal ter um vestígio mas jamais um vazamento aparente. Veja se o filtro de combustível e de ar (não há filtro de óleo no Fusca) estão limpos.
  5. Polia. A peça circular inferior é a polia e deve ter uma mínima folga quando movimentada com as duas mãos. Se ela se movimentar muito é sinal de falta de ajuste e se ela estiver rígida também. Aproveite e veja a correia, se os dentes não estão gastos e se não há sinal de que ela está velha. É um item muito barato e que pode ser substituído na hora, mas é bom verificar.
  6. Parte elétrica. Mesmo que você não seja eletricista teste as luzes, seta, luz de freio e luzes internas do carro. Veja se há dificuldade na partida. No motor, veja se os contatos elétricos estão limpos como os da bobina, assim como do distribuidor que não pode ter folga. Fique atento a eventuais fios soltos. Tire o banco traseiro e analise o estado da bateria. Sobre ela vale a pena colocar uma proteção de borracha como um tapete evitando que uma eventual faísca se solte e atinja parte da estrutura do banco.
  7. Escapamento. Embaixo do carro veja o estado do escapamento. É normal que ele tenha ferrugem. Veja se o som é encorpado e levemente metálico, como tem que ser. Veja se não há buracos, sinal de ar vazando pela estrutura ou algum desgaste anormal.
  8. Assoalho. Tire os tapetes do carro e veja como está o assoalho. Nos cantos, veja se há sinal de ferrugem nos cantos, próximo às portas e principalmente próximo aos pedais.
  9. Ferrugem sob o capô. Analise bem a parte interna do capô do Fusca, na frente. Tire o estepe e veja qualquer sinal de ferrugem na peça onde se encaixa o pneu. Repare que há alguns furos nessa peça, o que é normal. Há uma peça de borracha de proteção na parte central. Retire e veja se há ferrugem nessa parte.
  10. Pneus. O Fusca conta com rodas e pneus aro 15 e são geralmente finos/estreitos. Verifique estes pneus, se há sinal de desgaste anormal, se estão inteiros e se a borracha não está esfarelando, sinal de que envelheceu. Se o carro tiver outros pneus, mais baixos e largos ou até outras rodas, veja o bom estado de cada uma.

Ao ligar o Fusca…

11. Ao ligar o carro veja se não há fumaça expelida do motor. Isso pode significar que o combustível está misturado ao óleo e que reparos no motor precisam ser feitos. Aliás, tente ver o carro com motor frio. O ideal é que ele ligue na primeira partida e que não saia nenhuma fumaça do escapamento.

12. Ao frear o carro repare se não há sinal de que os tambores estão gastos. Se o pedal parecer áspero pode ser sinal de ferrugem. Se o freio não parecer eficiente pode ser deficiência na peça ou no fluído de freio, e que o reparo é urgente.

13. Verifique também se as quatro marchas tem trocas suaves. O câmbio do Fusca é bem simples, mas o curso das marchas é bem curto e precisa estar bem ajustado. Qualquer barulho do câmbio significa sinal de que é preciso um conserto. A embreagem também pode apresentar desgaste e vibração, por isso vale a pena acioná-la e ficar atento a sons estranhos e dificuldade de engatar a marcha.

14. Ao dar um passeio, analise se a direção não está puxando para um dos lados, se o carro tem força para acelerar e se responde à pressão do freio. Aproveite e verifique novamente luzes, farois, seta e luz de freio.

 

Gostou do carro? Tem mais dicas!

15. Analise a documentação do carro. Fuja de documentos com problemas como dupla transferência, carros sem recibo, carros em inventários e carros sem qualquer histórico, até por pura segurança.

16. Procure levar um mecânico ou pedir um checkup mecânico especialmente se você gostou do carro mas percebeu ao analisar o carro que algo não está correto

17. Faça um laudo cautelar que verifica todo o histórico do carro.

18. Se você teve dúvida quanto a alguma diferença de cor, qualidade de peça ou acabamento, leve também a um funileiro ou lanterneiro. Especialmente se houver ferrugem.

19. Itens de segurança: lembre que apesar de ser um carro antigo o Fusca precisa ter cintos de segurança (não precisa ser de três pontos, pode ser abdominal, simples), além de estepe, pneus e chave de roda. Não deixe de verificar isso.

20. Se algo não vai bem com o carro, procure um clube de carros antigos da sua cidade e peça opinião detalhada de um especialista. Em caso de carros com placa preta, verifique se o carro tem certificado de originalidade e se foi emitido por um clube federado e filiado à FBVA.

Se você gosta do Fusca, saiba que o Auto Show Collection promove o maior encontro do Brasil para fãs do modelo. Há 17 anos a Noite do Fusca é um dos eventos mais concorridos reunindo a cada ano cerca de 500 exemplares e milhares de pessoas. Neste ano o evento está confirmado para o dia 04 de junho.