GM Divulgação

A Chevrolet divulgou hoje (09), o lançamento da Spin 2020. Sem muitas novidades, a GM informou que a versão topo, antes LTZ, passa a se chamar Premier. Esse movimento feito com o Tracker tende a ser feito em outros veículos da linha Chevrolet. A nova linha também ficou entre R$ 1,2 mil e R$ 1,4 mil mais cara.

Outra novidade presente na linha 2020 é fim da versão Activ7 de cinco lugares, que continua sendo a mais cara da gama. Agora a versão será comercializada apenas com sete lugares mantendo os trilhos de recuo apresentados no ano passado, a fim de otimizar o espaço interno.

Atualmente a Chevrolet comercializa a minivan Spin em quatro versões: LS, LT, Premier e Activ7.

Todas as versões são vendidas com o motor 1.8 de 111 cv a e 17,7 kgfm a 2.600 rpm. O consumidor ainda pode escolher entre uma transmissão manual ou automática, de seis velocidades.

VersãoPreço antigoPreço atual
Spin LS MT6R$ 67.590R$ 68.790
Spin LT MT6R$ 72.090R$ 73.390
Spin Premier MT6R$ 82.990R$ 84.390
Spin Premier AT6R$ 86.590R$ 87.990
Spin Activ7 AT6R$ 88.590R$ 89.990

 

Essa alteração, no entanto, deve durar pouco tempo. A GM lança no segundo semestre os novos Onix e Prisma, usando uma nova plataforma global e uma gama de motores turbo. A mesma mudança deve chegar para a Spin e para o SUV Tracker em 2020.

Minivans em baixa: confira a história

A partir do modelo alemão lançado em 1999, em março de 2001 a Chevrolet lançou por aqui a Zafira, um dos produtos mais atualizados da época usando a plataforma do Vectra. Nessa ocasião a minivan era comercializada em duas versões, uma com motor 2.0 de 8V e 116cv e uma segunda com motor 2.0 de 16V e 136cv. Poucos meses depois do lançamento nacional, já apresentar o modelo 2002, com a inclusão da versão topo de linha CD. Era o primeiro veículo brasileiro a ter sete lugares (opcional) e concorria com outros modelos familiares como o Citroen Xsara Picasso e Renault Scenic.

Em 2002 também foi lançada o Chevrolet Meriva, minivan de cinco lugares, equipada com motores 1.8 8V e 1.8 16V usando a base do Corsa. O modelo havia chegado ao mercado para substituir o Corsa Wagon que não apresentava bom número de vendas e também porque o segmento de station wagons pendia para as versáteis minivans. Desde então, Meriva e Zafira foram comercializadas juntas.

Em 2003, a Chevrolet trouxe para a Zafira o câmbio automático de quatro marchas, enquanto a Meriva era equipada apenas com câmbio manual de cinco marchas.

Já em 2005 a Zafira passou por um facelift ganhando uma pequena alteração na grade frontal, novo grafismo no para-choque, acréscimo dos faróis de neblina e pequenas alterações nos faróis. Com o passar dos anos, ganharam mais uma concorrente: Nissan Livina e Gran Livina. A Meriva chegou a ter a versão Easytronic, usando o câmbio automatizado, que não fez sucesso e logo saiu de linha sem se estender a outros produtos da marca.

A produção da Zafira e da Meriva foi encerrada em julho de 2012 com o lançamento da Série Collection, com 500 unidades de cada modelo. Em 2012, a GM lançava no Brasil o Onix que trouxe consigo uma nova plataforma, a GSV. Assim, a dupla saiu de cena em favor da Spin, usando a nova base. Já nesta época o mercado brasileiro dava cada vez mais espaço para os SUVs. Com poucos concorrentes, mas de olho na tradição da marca, a Spin sempre foi líder deste segmento pelo espaço flexível e baixa manutenção.

Ainda assim, todas as minivans da GM, como a Zafira e a Meriva, sempre tem espaço no mercado de usados como no Feirão Auto Show. A Spin também tem boa aceitação e segue como um dos modelos familiares mais vendidos.