Pioneiro entre os SUVs compactos, o Ford EcoSport desenvolvido e produzido no país já completa 16 anos de idade. Diferente de outros tempos, quando só concorria com modelos mais caros (e vencia facilmente) como Hyundai Tucson e Pajero TR4, hoje a vida não é nada fácil para o Ford, que já não tem vivido tempos áureos no mercado brasileiro. Mas o EcoSport se renova e inova para se manter competitivo e atributos positivos não lhe faltam.

A linha 2020 do EcoSport trouxe além do visual renovado ano passado, mudanças interessantes especialmente na versão Titanium. A principal é a adoção dos pneus Run Flat Michelin 205 17 capazes de rodar murchos ou furados graças a uma estrutura diferenciada do pneu. Sem o estepe preso à tampa do porta malas e até mesmo dentro do porta malas, o EcoSport fica mais jovial e moderno seguindo visual oferecido na Europa e Estados Unidos.

Bem equipado, abre mão do motor 2.0 (agora presente apenas na versão Storm 4×4) e adota o ligeiro 1.5 Dragon 3 cilindros de 137cv. Mais eficiente e associado ao câmbio automático de seis marchas, tem conceito moderno de válvulas variáveis, coletor integrado ao bloco, uma bobina para cada cilindro e corrente banhada em óleo. Durante 500km rodados, o consumo com gasolina ficou em 10,5km por litro na cidade e 13km na estrada. Mesmo aspirado o motor tem desempenho silencioso mostrando seu trabalho só em reduções e retomadas mais fortes.

A direção e a ergonomia continuam como pontos altos do EcoSport que se destaca internamente pelo bom acabamento especialmente nos bancos de couro ecológico na cor clara. O espaço traseiro continua limitado assim com o porta-malas de 356 litros com a incômoda abertura lateral.

Em termos de equipamentos a versão Titanium tem multimídia Sync 3 com alto-falantes Sony de boa qualidade e sistema de navegação, computador de bordo, chave presencial e partida por botão, ar condicionado digital e automático além de um conjunto de sete airbags e controle de estabilidade além de alerta de tráfego cruzado, sensor de monitoramento dos pneus entre outros itens.

No início de maio a Ford fez uma redução no preço do EcoSport Titanium repetindo uma redução já anunciada em março para toda a linha. Hoje os preços da linha 2020 partem de R$ 76,8 mil (SE 1.5 com câmbio manual), passam por R$ 82,8 mil (SE com câmbio automático), a versão Freestyle fica entre R$ 85 e R$ 92 mil, chega a R$ 100,8 mil para a Titanium e termina em R$ 108,3 mil para a Storm 4×4. Longe da liderança, que alterna entre Jeep Renegade, Hyundai Creta e Honda HR-V, a Ford quer tornar seu produto mais atrativo em custo-benefício. E precisa. Há uma enxurrada de bons produtos como Nissan Kicks, Citroën C4 Cactus, Peugeot 2008 (que muda em breve) e o Volkswagen T-Cross no segmento dos SUVs compactos e o EcoSport não quer ser só mais um deles.

16 anos de sucesso 

Desenvolvido no final dos anos 1990, o EcoSport foi o primeiro utilitário esportivo compacto do país lançado oficialmente em 2003.

Com preço muito menor do que os concorrentes mais caros e com proposta de SUV, o EcoSport baseado na segunda geração do Fiesta tinha motores 1.0 8V, 1.6 8V e 2.0 16V. No primeiro ano mais de 27 mil unidades foram vendidas.

O tempo passou e muitos novos produtos chegaram após 2010, e o EcoSport foi perdendo fôlego mesmo contando à época com opções de tração integral e câmbio automático.

Com alguns ajustes ao longo de sua vida a segunda geração chegou só em 2012. À época o EcoSport ganhou visual modificado inspirado nos SUVs maiores como o Escape. Os velhos motores saíram de cena chegando o motor 1.5 Dragon de três cilindros e o motor 2.0 Duratec.

Vendido hoje na Rússia, Romênia,Tailândia, índia, Alemanha, Inglaterra, China e também nos Estados Unidos, o EcoSport já teve um facelift em 2018 aprimorando seu visual e melhorando a oferta de equipamentos.

No site do Auto Show há centenas de ofertas da linha EcoSport, tanto da primeira quanto da segunda geração à venda no maior feirão de usados do país, o Feirão Auto Show.