Levar a família toda para uma trilha no final de semana seria um belo programa. Enfrentar lama, atoleiros, valetas e até cursos d’água com um veículo genuinamente versátil, um sonho. Estas são as características do Novo Pajero Sport, que retoma a tradição do utilitário que chegou ao mercado em 1982. No Japão ele acaba de deixar de ser vendido e por aqui o último Pajero era o Dakar que saiu de linha no final de 2017. Mas a lacuna foi bem preenchida pela Mitsubishi.

Há 37 anos os SUVS estavam chegando mas os orientais já tinham larga experiência em modelos com esse perfil. Isso fica evidente no Novo Pajero Sport. O desenho arrojado com vincos fortes e a traseira polêmica com a longa lanterna guardam um pacote que vai além do visual e prova suas virtudes na terra. Mas vale o destaque: o design da traseira está longe de arrancar suspiros. Parece não haver um para-choque e a lanterna esticada por quase toda a coluna, sem função além de algo meramente estético, poderia ser mais convencional.

O motor diesel 2.4 MIVEC de 190cv com 43,9kgfm de torque turbo com injeção direta é eficiente e silencioso evoluindo com o câmbio automático Aisin de oito marchas que permite trocas manuais. Com tração integral, usa o sistema Super Select II com opções 4×2, 4×4, 4×4 com diferencial bloqueado e 4×4 com reduzida para situações extremas além de modos especiais de condução para pedras, lama, areia e neve. Se o botão é igual ao que já existia antes, giratório, o painel mostra a tração escolhida em uma animação 3D bem mais moderna.

A Mitsubishi foi generosa com o teste drive que durou cinco horas em mais de 200km. Foi possível experimentar o carro em uma autêntica pista off-road com trechos de até 45° de inclinação lateral, descida em tobogã e até trechos de 70mm de água, que a Pajero vence com bravura.

Apesar do tamanho (são 4,78m de comprimento) e do peso (são duas toneladas), a boa visibilidade e o diâmetro de giro combinados com o motor forte e suspensão bem projetada facilitam a condução. A capacidade off-road também fica evidente pelos 30 graus de ângulo de entrada e 24,2 graus de saída.

A segurança também é item de série. Há 7 airbags, controle de estabilidade e tração, controle de descida e subida, assistente de troca de faixa e pontos-cegos, sistema de prevenção de aceleração involuntária, frenagem de emergência, controle de cruzeiro adaptativo e freios antitravamento com distribuidor de frenagem.

Assim, mesmo usando estrutura sobre chassi tal qual os concorrentes Toyota Hilux e Chevrolet Trailblazer, o Pajero Sport tem uma vocação bem vivida para uma aventura extra asfalto, tecnologia que os concorrentes não tem no mesmo nível. Ainda assim a Mitsubishi cobra caro por isso. O Pajero Sport vem em configuração única, HPE, por R$ 265,9 mil, valor alto mas que a marca soube traduzir com tecnologia de última geração apta a qualquer situação sem sacrificar motorista e passageiros. Há conforto, tecnologia e tração para se destacar e tornar acirrada essa disputa por SUVs legítimos.

37 anos de tradição

Pajero, Montero ou Shogun são os nomes desta linha que chegou ao mercado em 1982 com sucesso entre os proprietários e nas pistas. O carro já venceu 12 Rally Dakar ao longo da sua história.

Fabricado inicialmente no Japão, o primeiro Pajero tinha motores 2,0 litros a gasolina com versão turboalimentada, 2,3 litros diesel e V6 3,0 litros a gasolina sempre com carroceria de duas ou quatro portas além de versões mais longas.

A segunda geração surgiu em 1991 e os motores seguiram evoluindo, especialmente o diesel que passava a 2,5 litros com injeção de combustível multiponto e também o 3,5 litros V6. O ano de 1992 foi o melhor da história onde a Mitsubishi fabricou 174 mil unidades do Pajero que se expandia pela América Latina, especialmente na Colômbia, Peru, Bolívia e Venezuela e chegava ao Brasil.

Alguns anos depois o Pajero chegava à China com os nomes de Pioneer, Tornado e Heijingang, este fabricado sob licença por uma marca local. Na Índia, o processo se repetia com a Mahinda (que foi vendida no Brasil há alguns anos) e com a Hyundai, que comercializava a Pajero antiga sob o nome de Galloper.

Em 1999 chegava a terceira geração enquanto países em desenvolvimento mantinham a fabricação da versão antiga, evoluindo também motores e tração com auxílio da tecnologia. Com a concorrência acirrada, surgia anos antes a versão Sport, com desenho mais fluído e familiar, diferente do design antigo que era mais quadrado.

4.1.2

A atual geração foi lançada em 2006, mas o lançamento de novos produtos acabaram ganhando mais espaço, inclusive na própria marca como a Outlander e o ASX. Aqui foram fabricados os modelos Dakar, de 2012 a 2017, e também o Pajero TR4, primeiro bicombustível da marca no mundo, de 2011 a 2017. A Pajero Sport chega importada ao Brasil fabricada na Tailândia.