Como os carros japoneses vieram parar no Brasil dos anos 1990?

Os carros japoneses ganharam o coração e a garagem do brasileiro desde que chegaram ao Brasil, mas você sabe como eles vieram para cá?

O Honda Civic e o Toyota Corolla são sucessos mundiais que chegaram aqui no começo dos anos 1990 mas não foram os primeiros. A história começa em 1958 quando a Toyota fundou a primeira fábrica no Brasil, o escritório foi montado em São Paulo e a montadora fabricou carros como o Bandeirantes, um jipe que foi utilizado pelo exército e também por fazendeiros da época. Na segunda metade da década de 60, foi a vez da Honda “dar as caras” por aqui. Nesta ocasião, foram autorizadas as primeiras importações de motos para o país. Com alíquota muito elevada os diretores da montadora apostaram forte no mercado brasileiro e no começo dos anos 70 começava a funcionar a Honda Motor do Brasil Ltda. A princípio as vendas eram apenas de motocicletas, que fizeram sucesso pela durabilidade e economia.


Em abril de 1976, o decreto-lei 1.455/1976 incluía os automóveis no chamado Anexo C do Comunicado Cacex. Em outras palavras, transformava os automóveis em mercadorias de importação proibida dali em diante. Especulações da época falam que essa foi uma ação do presidente da Volkswagen, Wolfgang Sauer, junto ao governo militar, mas lembrando que isso é apenas uma especulação. Assim a oferta de carros importados cessou imediatamente o que contribuiu para atrasar nossa indústria por vários anos. Até o Toyota Bandeirante e as motos Honda continuaram a ser fabricados quase sem alterações enquanto no Japão esses produtos evoluíram muito como se sabe.
Essa lei ficou em vigor até 9 de maio de 1990, quando o então presidente da República, Fernando Collor, liberou as importações de
veículos. Por meio de uma medida provisória, Collor eliminou o Anexo C, permitindo a importação de automóveis de qualquer ano. Essa foi a brecha que as montadoras precisavam para chegar ao país. Por aqui, carros com carburador eram maioria absoluta e nada de mecanismos como freios ABS ou Air-bags, carros automáticos eram raríssimos, mostrando o atraso da nossa indústria na época.

As japonesas começaram as importações em 1992, com a Honda, Toyota e Subaru. Eram importados carros como, Civic, Accord, Camry, Corolla entre outros. Desses carros, dois pediram residência permanente no país; Honda Civic e Toyota Corolla, futuros campeões de vendas entre os sedãs médios. Na época, a chegada deles atrapalhou as vendas de carros consagrados como o Chevrolet Monza, Volkswagen Santana e Ford Versailles e mesmo recém chegados como o Chevrolet Ômega e o Fiat Tempra.

​As montadoras que demoraram para chegar ao país foram a Nissan e Mitsubishi. A primeira apareceu por aqui em 1997 como forma estratégica de manter e estruturar a empresa no plano Mercosul. Em 2001 a empresa ganhou um grande aliado para o crescimento no país, em parceria com a Renault e construiu no complexo Ayrton Senna, em São José dos Pinhais/PR, a primeira fábrica da aliança no Mundo e em 2002 a montadora lançou seu primeiro veículo nacional, a picape Frontier. Já a Mitsubishi apareceu no cenário nacional em 1998, instalando uma fábrica na região de Catalão, em Goiás.
Mesmo com poucos anos de vida no Brasil a empresa já conseguiu uma marca de impacto no mercado brasileiro, em 2007, atingiu a marca de 100 mil veículos fabricados.

Post a comment