A fascinante história do Ford Maverick

Em meados dos anos 60, a abertura do mercado norte-americano no pós-guerra fez a Ford Motors sentir o incômodo da concorrência com a invasão dos carros japoneses e europeus e seus motores econômicos e de fácil manutenção. Para tentar combater os novos conceitos automobilísticos vindos do outro lado do atlântico e do pacífico, a montadora decidiu pela criação de um carro que fosse capaz de unir economia, praticidade, e um toque de esportividade. Surgia então, em 17 de abril de 1969, o Ford Maverick.


Sucesso imediato

Com suas versões de motor de 2,8 e 3,3 litros de seis cilindros, o Maverick tinha design inspirado no Mustang (um sucesso absoluto da montadora) e foi lançado para substituir o antigo Falcon, que estava ficando ultrapassado. A Ford vendeu o Maverick como o carro ideal para casais jovens sem filhos ou para ser o segundo carro de uma família, mais ágil e compacto, feito para um passeio mais emocionante e intenso. Um dos diferenciais da campanha de lançamento era a quantidade de cores disponíveis: 15 no total, desde o clássico preto até cores inusitadas como o verde-folha e o laranja.

O sucesso foi tão grande que bateu o recorde de vendas do Mustang e atingiu meio milhão de exemplares em seu primeiro ano de mercado. Dois anos depois, em 1971, foi lançada a famosa versão com motor V8. O motor já equipava versões do Mustang, e a Ford relutou em lançar a versão para não atrapalhar a imagem de carro econômico do Maverick, mas após apostar no lançamento da linha GT com Motor V8, a fabricante viu crescer uma das maiores lendas já surgidas em sua linha de montagem.

O Maverick no Brasil

O Ford Maverick chegou no Brasil em 1973. Diferente dos Estados Unidos, ele foi vendido por aqui como um carro que reunia esportividade e requinte. Ele foi introduzido no mercado para ocupar uma faixa posicionada entre o Corcel, veículo mais popular da marca, e o Galaxie, sedan de grande porte e repleto de inovações, como ar-condicionado e direção hidráulica.
Em terras brasileiras, o carro fez sucesso como jovem e ágil. Sua fama fez com que fosse visto em diversas produções cinematográficas nacionais. O “Maveco” foi lançado nas versões Standard, Super Luxo e Gran Turismo.

Os motores

O ano de 1973 foi marcado pela crise internacional do petróleo, algo que fez com que o carro não fosse um sucesso de vendas logo em sua chegada. Apesar do foco no modelo GT V8 de 302 polegadas cúbicas, o Maverick V6 também foi vendido no Brasil, mas o bloco do antigo motor Willys trouxe muitos problemas para os Mavericks V6 enquanto o V8 consumia bastante combustível. Só depois de alguns anos, a Ford lançou a versão dequatro cilindros, um motor mais econômico e compatível com a realidade econômica do Brasil.
Em 1976 a Ford realizou uma remodelagem no Maverick e surgiu a versão LDO. Esta linha saia com acabamento caprichado e câmbio automático de 4 velocidades.

O fim da lenda

Em 1979 a Ford anunciou o fim da fabricação do Maverick. A queda nas vendas e o surgimento do Corcel II encurtaram a vida do esportivo, que vendeu cerca de 108 mil exemplares no Brasil. Mesmo com um ciclo curto no Brasil, o Maverick marcou uma geração de motoristas, que ainda hoje mantém o respeito por um dos grandes modelos que já rodaram pelo Brasil.

Se você tem alguma história envolvendo o Maverick, compartilhe-as nos comentários e ajude a reviver a memória do Maveco!

Post a comment